Precauções

Em geral, como com todas as vacinas, diante de doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se:

a) Não tomar a vacina se estiver com quadro febril;
b) Não tomar a vacina em caso de suspeita de gravidez;
c) Não tomar a vacina se teve diagnóstico confirmado da COVID-19 há menos de 30 (trinta) dias. Nesse caso, aguarde no mínimo trinta dias e estando bem, procure o local de vacinação, levando seus documentos pessoais e a Carteira de Vacinação.


Riscos:

Importante ressaltar que não há evidências, até o momento, de qualquer risco com a vacinação de indivíduos com história anterior de infecção ou com anticorpo detectável para SARS-COV-2.
É improvável que a vacinação de indivíduos infectados (em período de incubação) ou assintomáticos tenha um efeito prejudicial sobre a doença. Entretanto, recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com infecção confirmada para se evitar confusão com outros diagnósticos diferenciais. Como a piora clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção, idealmente a vacinação deve ser adiada até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas.


Contra-Indicações:

Os conhecimentos científicos disponíveis até o presente momento indicam que as vacinas contra a COVID-19 são contra indicadas nas seguintes situações:

1 - Pessoas menores de 18 anos de idade (Atençãoː este limite de faixa etária pode variar entre as vacinas, portanto sempre será recomendada a confirmação desta informação diretamente na bula);
2 - Gestantes;
3 - Pessoas com histórico de reação anafilática confirmada associada à dose anterior da vacina contra a COVID-19 ou a qualquer um de seus componentes.